Associações de Bairro do Distrito de Barão Geraldo se preocupam com o crescimento desordenado.

Informamos a todos que, conforme combinado na última reunião de 21/02/03 realizada no Pró Menor, já foi PROTOCOLADO na Câmara Municipal de Campinas, para seu Presidente e cada um dos vereadores - individualmente - cópia da carta anteriormente protocolada na Prefeitura, com uma carta explicativa. (ver abaixo)

Também foi elaborado um histórico sobre a Lei 10.617/00, o que facilitará as próximas ações.

Campinas, 25 de fevereiro de 2.003
Ao 
Sr. Nome do Vereador
Vereador da Câmara Municipal de Campinas

Prezados Sr.

Levamos ao conhecimento de VSa. a carta anexa protocolada na PMC (Protocolo PMC nº 11.567) e no Escritório de Planejamento da Cidade, na qual as Associações de Bairro do Distrito de Barão Geraldo expressam as suas preocupações e tecem considerações sobre o processo de ocupação territorial que o distrito vêm sofrendo e suas implicações e conseqüências em um futuro de médio e longo prazo, notadamente no que se refere à preservação das características urbano-rurais do distrito, ao cumprimento de Leis legitimadas pela comunidade, como a Lei Municipal nº 9.199/96 e a revogação de Leis casuístas como a Lei Municipal nº 10.617/00 e a Lei Municipal nº 8.853/96 e outras mais, que tem desvirtuado as características do distrito, os anseios de sua comunidade e colocado em risco a qualidade de vida de seus habitantes e das gerações futuras. 

Esperamos contar com o apoio dessa Casa e dos Srs Vereadores para o nosso pleito tendo a certeza que serão reconhecidos no futuro por terem contribuído para uma Campinas mais ética.

Atencisamente

Associações de Bairro do Distrito de Barão Geraldo
Assinatura em carta anexa

c/c Sr Carlos Francisco Signorelli
Presidente da Câmara Municipal de Campinas 


Para quem não leu a carta protocolada na PMC, segue abaixo uma cópia:



Campinas, 11 de fevereiro de 2.003
Ao 
Sr.Lauro Camara Marcondes
Secretário de Gabinete e Governo

Sr. Araken Martinho
Coordenador do Escritório de Planejamento da Cidade
Grupo Executivo de Planejamento do Desenvolvimento Urbano e Rural de Campinas 

c/c Sra. Izalene Tiene 
Exma Prefeita Municipal de Campinas 

Prezados Srs.

No intuito de contribuir com as discussões para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Urbano e Rural do Município de Campinas, os representantes das Associações de Bairro do Distrito de Barão Geraldo abaixo assinados, vêm expressar algumas preocupações e tecer considerações sobre a forma como está ocorrendo a ocupação atual do distrito e suas implicações e conseqüências em um futuro de médio e longo prazo, notadamente no que se refere à preservação das características urbano-rurais do distrito e manutenção da qualidade de vida de seus habitantes.

Durante muitos anos, a comunidade do distrito de Barão Geraldo tem procurado formas de garantir o desenvolvimento racional, planejado e ordenado dessa porção do município, preocupada na preservação da qualidade de vida para os que aí residem e para as gerações futuras. De certa forma, seus anseios foram atendidos em 1996, quando da aprovação da Lei nº 9.199/96 que instituiu o PLANO LOCAL DE GESTÃO URBANA DE BARÃO GERALDO (PLGU-BG). 

Esse plano foi elaborado através de um convênio da Prefeitura Municipal de Campinas PMC/UNICAMP/PUCCAMP contando com uma equipe multidisciplinar composta por técnicos que estudaram profundamente as características e problemas do distrito, seus habitantes, sua vocação, sua história, infra-estrutura e ocupação, para que, junto com a comunidade, construissem um modelo de desenvolvimento racional e planejado para o distrito, garantindo para a sua população o equilíbrio necessário entre crescimento e qualidade de vida. 

Infelizmente, na gestão Francisco Amaral todo esse esforço não resultou em melhorias para o distrito. Pelo contrário, nota-se que houve desvirtuamentos de conceitos do PLGU-BG e desrespeito ao macrozoneamento de planejamento do Plano Diretor de Campinas (Lei Complementar nº 04 de 1996) comprometendo a sustentabilidade e qualidade de vida de seus habitantes. 

Dentre esses desvirtuamentos citamos a Lei nº 10.617/00 que insere grandes glebas rurais em perímetro urbano, sem qualquer estudo técnico que as habilite para tal, o que tem suscitado questionamentos dentro de órgãos da própria PMC quanto a sua legalidade. Também citamos a Lei nº 8.853/96 que trata da criação de bolsões urbanos em zona rural, o que estimula a ocupação urbana em importantes áreas rurais e desencadeia ainda mais o processo desordenado de ocupações urbanas. 

Essas referidas leis acabam resultando na urbanização desordenada de áreas de conurbação com municípios vizinhos e/ou próximas a grandes complexos industriais onde a urbanização não é recomendável por questões ambientais, de segurança e de saúde. Ademais essas ocupaçóes favorecem a implantação de loteamentos urbanos e tem colocado em risco a produção agrícola existente no distrito, oriunda de pequenos produtores rurais, modificando a vocação, para agricultura, de terras de boa qualidade. Como agravante, as limitações da infra-estrutura existente no distrito não são solucionadas, o que contribui para piorar o quadro existente, principalmente no que se refere ao sistema viário, atualmente já saturado. 

Fortunadamente na eleição municipal de 2000 a comunidade de Barão Geraldo obteve o compromisso público do então candidato a prefeito Antonio da Costa Santos que, caso eleito, o PLGU-BG seria respeitado. Assim aconteceu e logo o instrumento de gestão previsto no Plano - o Fórum Consultivo - foi acolhido e criado pelo então prefeito e instalado pela atual prefeita Izalene Tiene. Atualmente o Fórum Consultivo está elaborando seu Regimento Interno para que possa funcionar. 

Atitudes como esta é o que esperamos de um governo democrático e popular compromissado com os anseios da sociedade. Estamos abertos para juntos, elaborar uma eficiente política de uso e ocupação do solo que concilie a inclusão social, a proteção ao meio ambiente e a preservação da qualidade de vida, com o crescimento ordenado da área urbana, respeitando a vocação rural do distrito e coibindo a especulação imobiliária que transforma porções de terra produtiva em simples estoque de valor e deixa o ônus das conseqüências sócio-ambientais e de falta de infra-estrutura para seus habitantes e para o erário público.

Temos a exata noção da riqueza de Barão Geraldo e da cobiça que desperta, entretanto temos - poder público e comunidade - o dever de garantir a aplicabilidade do PLGU-BG e exigir a revogação de leis que colocam em risco o futuro do distrito, não permitindo que interesses pessoais e pontuais prevaleçam em detrimento do bem estar coletivo. 



Atenciosamente,

Associação Nome do Representante RG

Anuncie no Barão em Foco

  Mundo
Brasil
Jornais
Política
Economia
Educação
Emprego
Cinema
Fotografia
Opinião
Quem Somos
Contato
Matérias Anteriores
Empresas de Barão Geraldo
Fórum Consultivo de Barão Geraldo
Casa do cidadão Baronense
Carnaval em Barão Geraldo
Centro de Saúde
Conseg de Barão Geraldo
Escolas de Barão Geraldo
Mapas de Barão Geraldo

Mata do Quilombo
Mata Santa Genebra
Meio Ambiente Barão Geraldo
Ciclovia em Barão
Casarão do Barão
Parque Ecológico de Barão Geraldo
Parque Linear Ribeirão das Pedras
Polícia Civil
Polícia Militar
Praças de Barão
Restaurantes em Barão Geraldo
Rio Anhumas
Subprefeitura de Barão
Teatro em Barão Geraldo
Vídeos de Barão Geraldo

Publicidade no Barão em Foco - clique aqui
Fones: (19) 2121-0632  (19) 3044-0101

 

 

Home

Agência 15