20 de abril de 2011
 

A documentação que ganhou o Prêmio de
Melhor Projeto Ambiental do Brasil 2010  

 - Parque  Linear Ribeirão das  Pedras em Barão Geraldo -


O "Parque" abaixo ganhou o prêmio de melhor projeto ambiental do Brasil 2010

Parque Linear Ribeirão da Pedras em Barão Geraldo - "valeta" com 25m aberta pelas chuvas.
Reparar a cor de esgoto na água e muito mato verde nas laterais

O Parque Linear Ribeirão das Pedras não existe como parque. Trata-se de um riacho com 10 km de extensão que nasce próximo ao Shopping D. Pedro, passa por Barão Geraldo ao lado da Escola Rio Branco e do Tilli Center e deságua no Rio Anhumas ao lado da Estrada da Rhodia, nos fundos da Hípica Barão.

O Ribeirão atualmente serve de "valeta" para as águas pluviais que, por erosão, aumentou as suas margens - até 1988 as margens do ribeirão tinham 2 metros de largura por 20 cm de profundidade. Atualmente têm até 25 metros de largura e 6 metros de profundidade (foto acima). Mesmo assim as enchentes são constantes devido aprovação de novas construções que impermeabilizam o solo em sua bacia. Impossível formar um parque contínuo, colocar bancos, jardins e ciclovia em sua extensão, pois uma chuva mais forte arrastaria tudo, como já aconteceu em 2010.

Apesar desta situação, o Ribeirão ganhou o prêmio de melhor projeto ambiental do Brasil 2010, fornecido pelo Ministério do Meio Ambiente. A Prefeitura alega que investiu 31 milhões de reais no Parque e limpeza do Ribeirão. A documentação enviada para o Ministério do Meio Ambiente e que motivou o prêmio é suspeita e contém inúmeras afirmações alheias à realidade do chamado Parque do Ribeirão das Pedras.

A documentação é que ganhou o prêmio e não o "parque".
O Barão em Foco conseguiu, através do Vereador Valdir Terrazan, o documento original que a Prefeitura enviou ao Ministério do Meio Ambiente para participar do concurso. Pela documentação, era para ganhar mesmo. Mais de cem cidades participaram do concurso, mas como o Ministério do Meio Ambiente não veio conferir a realidade da documentação, a Prefeitura de Campinas ganhou o prêmio.

História
No início da década de 90, associações de Barão Geraldo iniciaram um movimento para melhoria do Distrito que resultou na maravilhosa Lei 9.199 de 1996 que nos levaria para o primeiro mundo. Esta lei foi elaborada pelas duas universidades de Campinas, associações de Barão Geraldo, escolas, população e apoiada pelo Ex-Prefeito Magalhães Teixeira.
Como destaque principal da lei, que ainda está em vigor, temos:

  • O Fórum Consultivo das Associações de Barão Geraldo (22 estavam inscritas antes da atual gestão na Prefeitura), mais as universidades e órgãos da Prefeitura. Deveriam se reunir regularmente para discutir Barão Geraldo. O Fórum não tem poder deliberativo, mas tem poder de veto contra a Prefeitura e Câmara. É lei;

  • A Casa do cidadão Baronense, onde todas as informações e solicitações seriam fornecidas e resolvidas em conjunto pela Prefeitura e o Fórum. Isto é Lei;

  • O Parque Linear Ribeirão das Pedras com áreas de lazer e ciclovia. Isto está no Plano da lei.

  • 9 km de ciclovia no distrito unindo os principais pontos de acesso do distrito com a Unicamp. Isto está no plano da lei.

O Prefeito Magalhães Teixeira foi o grande colaborador e financiador desta Lei com inclusão da cidadania participativa, mas faleceu e a Lei foi assinada pelo seu sucessor Edivaldo Orsi, em 1996.

O próximo prefeito foi Chico Amaral, que tinha outros interesses, mas pelo menos não agiu contra esta lei e alguns acordos e obras foram realizadas na região do Shopping D. Pedro e Barão Geraldo. As plantas, croquis e fotos de obras que a Prefeitura atual enviou para Brasília e que motivou o prêmio foi desta época, só que não explicou que eram fotos de 13 anos atrás e hoje os locais estão abandonadas por esta própria gestão na prefeitura.

O Ex-Prefeito Toninho se comprometeu com o Distrito. Garantiu que retomaria as obras, apoiaria o Fórum Consultivo e criaria a Casa do Cidadão Baronense, que reafirmo, é lei.

A Ex-Prefeita Isalene desprezou a Lei. Não concordava que os cidadãos participassem das decisões e boicotou o Fórum Consultivo. Aprovou loteamentos, que são a maioria dos atuais processos de ilegalidade de uso do solo em Barão Geraldo.
Precisou aumentar as tubulações das pontes das Av. Atílio Martini e Pedroso Horta, que se tornaram insuficientes para as águas das chuvas devido à impermeabilização do solo. Este aumento de tubulação não estava na Lei. Foi conseqüência de não cumprir a Lei, aprovando loteamentos do jeito que ela quis, sem planejamento e sem a participação da população, conforme a lei 9.199 exigia.

Na gestão do Prefeito Hélio e do seu sub-prefeito, o boicote à Lei foi mais marcante. Acabaram com qualquer atividade de cidadania participativa no distrito. Se formos à Prefeitura ou à Sub-Prefeitura reclamar das construções irregulares ao lado das nossas casa, gritantemente ilegais, o resultado é conhecido.
Esta gestão na Prefeitura, também cheia de processos por desrespeito à esta mesma lei, não concorda com ela, pois é contra reuniões com representantes do distrito para legalizar os loteamentos, construções irregulares, crescimento vertical, etc. como consta na lei.
O boicote pela atual gestão da Prefeitura à participação popular, ao Fórum Consultivo e à Casa do Cidadão Baronense foi tão intensa que até hoje quando se toca no assunto em reuniões da comunidade causa desconfiança - os atuais políticos da situação não permitem a participação popular nas resoluções, vão em todas as reuniões e divulgam pareceres contrários. O fato é que a Lei 9.199 ainda é a lei. Todos os processos, embargos e ações dos cidadãos e do Ministério Público contra as arbitrariedades da Prefeitura em Barão Geraldo são baseados nesta Lei que a Prefeitura rejeita e, infelizmente, conseguiu adeptos no distrito.

O Prêmio
A atual gestão da Prefeitura, com todas as suas atitudes contrárias à Lei 9.199, com todos os boicotes e processos judiciais que responde por agir contra ela, pegou planos e plantas desta lei, estudos  e fotos da comunidade participativa de 13 anos atrás, na época das obras, e apresentou a documentação ao Ministério do Meio ambiente, como se estivesse dando continuidade ao plano e acrescentou afirmações absurdas para ganhar o prêmio.

Ganhou o prêmio, teve projeção nacional como melhor prefeito benfeitor do meio ambiente do Brasil e, enquanto isto, os moradores do distrito têm que conviver com esta perigosa valeta para enxurradas, viveiro de mato, carrapato e mosquito da dengue.

A afirmação mais absurda da documentação  está na página 5: 1- Ementa.

Adalberto Moro
Redator do Barão em Foco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estado Atual do Melhor Parque do Brasil 1010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Onde estão os R$31 milhões de Reais?

 


A documentação entregue pela Prefeitura
para participar do concurso contém informações falsas, como ciclovias inexistentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os moradores não participaram, pelo
contrário, o boicote à opinião dos moradores foi grande

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este prêmio a nível nacional para um parque inexistente e com informações falsas é uma demonstração da podridão administrativa que os brasileiros estão vivendo e demonstração clara de descaso para com o meio ambiente nacional

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
A informação não foi detalhada
 
Informação não fornecida. É importante, pois com os loteamentos da Rossi em andamento não sabemos até onde as enxurradas vão chegar.
Há que afirme que o futuro do "parque" será cimentar a valeta como na Norte-Sul.
 
Para ver os anexos - clique aqui
serão comentados mais adiante
 
As ciclo vias e Play Ground foram construídas pelo Tilli Center e Escola Rio Branco. Atualmente estão abandonadas e intransitáveis.
Clique aqui para ver as fotos atuais
 
 
 
 
A ETE de Barão Geraldo resolveu problemas de esgoto no Rio Anhumas, que era para onde todo esgoto do distrito era direcionado.
O Ribeirão das Pedras continua como sempre com o esgoto de vazamentos e  possivelmente da região do Shopping.
A Prefeitura devia ratificar o valor de R$31 milhões investidos no Parque Linear Ribeirão das Pedras para R$8 milhões e acrescentar R$23 milhões para sanear o Rio Anhumas.
Leia matéria sobre o assunto - clique aqui
 


ESTE É O TRECHO MAIS ABSURDO DO DOCUMENTO.
Provavelmente o motivo principal de ganhar o prêmio. Esta ciclovia não existe.

 
Eliminando as restrições que causavam inundações
Veja a inundação de 2010 que arrastou 4 carros para o Ribeirão das Pedras - Clique aqui
 
Formação de áreas urbanas de usufruto da população.
O único local que se pode ter algum usufruto do "parque" é entre o Tilli Center e a Escola Rio Branco, mas com reservas, pois o local está abandonado e fica com barro nos dias de chuva.
 
Quem já foi sabe as diferenças das Audiências Públicas de hoje com as da época do Magalhães Teixeira e Chico Amaral.
 
Veja a inundação de 2010 que arrastou 4 carros para o Ribeirão das Pedras - Clique aqui
 
No ano 2.000 descobriram que Barão Geraldo tem apenas alguns bueiros, mas até hoje nada foi feito.
Ver matéria de janeiro de 2007
 
Clique aqui para ver os anexos de 1998, época que a Prefeitura de Campinas realizava obras em Barão Geraldo
 
Os alunos da Escola Rio Branco e a Floricultura Campineira plantaram, em 1998, as centenas de mudas das árvores que hoje formam a mata ciliar do Ribeirão das Pedras na nossa região. Para conferir, verifique o tamanho das árvores.
Naquela época o civismo era grande e o exemplo vinha de cima, principalmente com o Ex-Prefeito Magalhães Teixeira.
 
 
Passagens e rampas para a fauna não foram encontradas
 
ESTE É O SEGUNDO TRECHO MAIS ABSURDO DO DOCUMENTO.

A Implantação de 2,7 km de ciclovia ao longo do parque Linear que promoveu saúde para a população e redução da poluição do ar sugere milhares de bicicletas. Se alguém souber onde fica, favor informar.

 
Afirmações estranhas, não dá para comentar.
 
19 reservatórios de cheias desde que o limite de impermeabilização na bacia seja de 65%.
Esta é a preocupação do barão em Foco
Não sabemos onde colocar os 19.
Ver foto do único existente - clique aqui
 
Conforme já comentado, este esgoto ia para o Rio Anhumas e não para o Ribeirão das Pedras. A construção da ETE de Barão Geraldo foi investimento para limpar o Anhumas e não o Ribeirão das Pedras.
Leia matéria sobre o assunto - clique aqui
 
Estas ampliações foram necessárias depois das aprovações dos loteamentos na região do Shopping.
Aprovações sem planejamento são comuns em Campinas, depois a Prefeitura vai atrás do prejuízo, paga a conta e ainda ganha prêmio.
 
Na verdade a construção das ETEs em Campinas atrasaram e aconteceram devido exigência da agenda 21, que teve início na ECO 92. A pressão internacional foi grande.
 
 
Este valor deve ser reduzido para R$8 milhões, pois a ETE de Barão Geraldo resolveu problemas do Rio Anhumas e não do Ribeirão das Pedras.
Leia matéria sobre o assunto - clique aqui
 
Estamos contando as árvores
 
Não é tão simples. A única lagoa existente foi construída em 1998. No ano passado já não exercia sua função devido acúmulo de detritos. No momento está sendo limpa e a despesa é muito grande.
Veja as fotos
 
Se as atividades da Secretaria de Meio Ambiente de Campinas estão servindo de modelo para outras cidades da região, só resta ter dó da região
 
Texto absurdo e repetido. Se alguém souber onde estão estes 2,7 Km de ciclovia no "Parque" Linear, favor informar.
 
Tendo como resultado a formação de Parque Público de Excepcional valor ecológico e paisagístico.
Veja fotos do "Parque": clique p/ ampliar
 
o verde predominante é mato
Região da Rua Francisco Zuppi
 
o verde predominante é mato
Na Cidade Universitária
 
AMOC - a Sanasa reformou casa de bombeamento para ser a sede da AMOC e ainda forneceu os móveis. Esta associação é legalizada, mas não representativa, pois em um bairro com cerca de 10.000 moradores, conta com apenas uns 15 sócios. Defende o atual prefeito.  Reparar o visual do "Parque"
 
Visual do Parque
 
Visual do Parque
 
A ciclovia construída em 1998 próximo
do Shopping D. Pedro
 
A ciclovia construída em 1998 em frente da
entrada de baixo do Shopping D. Pedro
 
Foto 05-05-2010 da ciclovia atual próximo ao shopping cuja foto da construção (era perfeita) foi enviada para o concurso
 
A ciclovia construída em 1998 ao
lado da Escola Rio Branco
 
A valeta em que se transformou o limpo
regato Ribeirão das Pedras de outrora
 
A ciclovia construída em 1998 entre a Av. 2 e Av. 1 na
Cidade Universitária
Quando não tem barro é um ótimo passeio pé
Matérias relacionadas:

Cadê os R$31 milhões do Parque Linear Ribeirão das Pedras? -
junho 2010
EPTV - 19/03/2010
Correio Popular - 19/03/2010
Site Psol - 20/03/2010
Jus Brasil -
21/03/2010 - Paulo Búfalo - no final

Histórico do Ribeirão das Pedras - matérias Barão em Foco de 2004 até 2011

Videos:
Conheça o Ribeirão das Pedras - janeiro 2008
Ribeirão das Pedra em Barão Geraldo: Pobre Coitado!! - julho 2008
As águas de Barão Geraldo - novembro 2008

 

Home

Agência 15