14 de outubro de 2011


Os Subprefeitos de Barão Geraldo 2000


Robeni Batista: na Gestão Isalene (2001-2004) a Subprefeita de Barão Geraldo foi Robeni Batista, professora da rede municipal (Guará), cidadã participativa e educadora. Ensinou que cidadania participativa envolve conhecimento da terra na localidade onde moramos. Levou seus colegas, professores da escola, para conhecerem os locais da nossa comunidade, rios, riachos, fontes, bacias, lagos, etc. Foi a mentora do Casarão do Barão e formadora de muitos jovens, sempre presentes em sua volta. Sofreu nas mãos daqueles militares que prometeram acabar com a corrupção no Brasil. Era educadora e não administradora, posição que recebeu críticas pelas ilegalidades da Prefeita, mas deu uma lição de cidadania consciente, principalmente entre os jovens carentes do distrito.

Thiago Ferrari: (2005 - 2008) atendendo uma promessa de campanha (ver) do Prefeito recém eleito, Dr. Hélio, os moradores de Barão Geraldo iriam exercer a verdadeira democracia. Se reuniram na escola Rezende com a presença de representantes de dezoito associações do distrito, para apresentarem 3 nomes para o Dr. Hélio escolher um como Subprefeito, conforme prometido. Ver fotos desta reunião. O advogado Thiago Ferrari, baronense da Cidade Universitária, foi presidente da AMOC e Conseg, participou de vários processos contra as decisões ilegais da Câmara de vereadores comandada pela Prefeita Isalene. Jovem ativo, participante e defensor do Fórum consultivo, foi uma das boas indicações naquele dia. Não aceitou a indicação e pediu para que seu nome fosse retirado da lista (ver). Apesar de não aceitar a indicação, foi o escolhido pelo Prefeito e aceitou o cargo. Inicialmente as associações gostaram. Em poucos meses, atendendo diretrizes do alcaide, acabou com o Fórum Consultivo (ver) e com todas as reuniões de cidadania do distrito que não eram suas apoiadoras políticas (ver). O ponto culminante foi a autorização da Micareta da Unicamp, desafiando abertamente as associações que eram contra (ver). Sofreu processo administrativo por esta autorização (ver). O Ponto alto da sua gestão foi colocar a subprefeitura às suas pretensões políticas e não ao atendimento dos moradores do distrito.

Miguel Tadeu Rodrigues: (2009 - 2011) engenheiro civil e baronense há 26 anos. Resolveu com facilidade os problemas técnicos do distrito referentes à sua formação, mas não alterou as atividades da subprefeitura em favor do seu mentor nem o descaso para com as ilegalidade de ocupação do solo no distrito. Cidadão interessado no distrito, poderia ter batalhado mais agregando os diferentes bairros do distrito em direção a um progresso sustentável e batalhado menos para elevar a imagem política do ex-subprefeito que o colocou no cargo. Aceitou "oferta" para trabalhar como engenheiro na Prefeitura.

Alberto Braede Leite: (2011) militante do PRP/PMN, coligação que ajudou a eleger o Dr. Hélio, veio lá da regional 7, Campos Elíseos, designado subprefeito nos últimos dias antes do impeachment. Era presidente da USE - União das Associações Espírita de Campinas, afastou-se do cargo ao assumir a Subprefeitura de Barão Geraldo. Nos três meses de governo demonstrou-se preocupado em defender os menos favorecidos e ajudar na reintegração dos presidiários em Barão Geraldo. O que muitos não entenderam é que o partido governante de Campinas mudou, e este subprefeito foi trocado por outro indicado pelo partido dominante atual.

Raul Vinhas Ribeiro: indicado pelo partido dos trabalhadores na curta gestão do Prefeito Demétrio Vilagra no final de setembro 2011. Professor aposentado da Unicamp na área de Engenharia  Elétrica e Computação. É livre docente especialista em Otimização e programação matemática e Planejamento e otimização de sistemas de telecomunicações.
No âmbito universitário, segundo informações coletadas na internet, é conhecido por seu espírito humanístico e culto, por sua atuação democrática e por sua capacidade de dialogo e atuação ponderada na resolução de conflitos.
Coordenou vários convênios com entidades como o CPQD/Telebrás e foi orientador de várias teses, uma delas, curiosíssima, O mal-das-cadeiras em capivaras: estudo, modelagem e simulação de um caso (ver).
Sua indicação causou êxtase nos petistas baronenses. A mídia (Correio) informou que esta indicação
correspondia aos anseios da comunidade. Qual comunidade? Dos petistas que, com o Prefeito Vilagra estão radiantes, ou da comunidade do Real Parque, Village, Cidade Universitária, Centro de Barão, Bosque de Barão, comerciantes baronenses, empresários e outros? Temos dezenas de comunidades, muitos problemas e anseios são comuns, mas politicamente, nos últimos anos, há pouca sintonia.
Barão Geraldo é uma localidade onde grande parte dos moradores têm conhecimento da posição, denúncias e prisão por corrupção por parte do Ministério Público em relação ao Prefeito Vilagra, que colocou o Sr. Raul Vinhas Ribeiro como subprefeito. Na atual condição, este cargo está muito longe de ser a de um líder comunitário respeitado e muito menos desejado pela maioria da população baronense.
É mais uma da brasileiríssima democracia, de governo nomeado e não votado, como os cargos biônicos na época da revolução, que, pelo currículo, tenho certeza, o Prof. Raul era contra.
O ex-governador Abreu Sodré (UDN/ARENA) foi uma aberração na democracia, mas o caso do Prof. Raul não, segundo seus partidários, este pode ser indicado, é uma pessoa conciliadora! Se tem baronenses que pensam assim e aceitam esta representação em Barão Geraldo, imaginem como é a democracia no carente Brasil restante.

O Barão em Foco faz votos de que uma luz ilumine a inteligência deste acadêmico que passou a vida na Unicamp pesquisando para que consiga, aqui fora,  administrar sustentavelmente uma população com imensas diferenças sociais, problemas de segurança, trânsito, meio ambiente, desrespeito às leis e de inúmeras ilegalidades na ocupação do solo impostas e permitidas na gestão Isalene, mesmo partido a que pertence e que o indicou para este cargo biônico de confiança. 
Entendemos que este cargo é para técnico capacitado e experiente, visando auxiliar tanto o prefeito quanto os anseios dos moradores e não exclusivamente para iniciantes políticos, partidários inexperientes, mas de confiança do prefeito como tem ocorrido nos últimos anos.
A primeira instrução para os subprefeitos é informar aos moradores que não há dinheiro para investir no distrito que colabora, em impostos, muito mais do que recebe em troca.

Alfredo Moro Morelli
redator do Barão em foco



 

 


 

.

Anuncie no Barão em Foco

 

 

Home

Agência 15