Comunidade surda aprova atendimento em Libras nos serviços de SP





Órgãos terão auxílio de intérpretes por meio de videochamadas para atendimento inclusivo às quase 500 mil pessoas surdas que vivem em SP



A iniciativa inédita do Governo de São Paulo que passa a oferecer atendimento em Libras nos atendimentos presenciais dos serviços do estado vai conferir mais confiança e independência às pessoas com deficiência auditiva. É o que afirmam membros da comunidade surda que estiveram presentes no evento de lançamento do programa SP São Libras, realizado no último dia 18, no Palácio dos Bandeirantes.

“Projetos como esse nos auxiliam demais, porque isso nos dá independência para conseguir nos comunicar de forma acessível. Por diversas vezes, deixei de procurar um serviço por me sentir insegura, já imaginando que provavelmente não conseguiriam me entender”, relata Yana de Souza, professora de Libras e coordenadora da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos. “Tinha sempre que levar alguém comigo”, afirma.

O projeto vai permitir que servidores acionem intérpretes de Libras por meio de videochamada para facilitar a comunicação com pessoas com deficiência auditiva. Para isso, o programa coordenado pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência vai implementar a Central de Interpretação de Libras em todos os órgãos públicos estaduais.

O objetivo é viabilizar, na Língua Brasileira de Sinais, atendimento inclusivo às mais de 469 mil pessoas com deficiência auditiva que vivem nos 645 municípios paulistas.

Desde o último dia 18, as cerca de 1,4 mil delegacias de polícia que possuem atendimento ao público já têm acesso à central, com apoio da Secretaria da Segurança Pública. Gradualmente, o sistema será expandido para todos os demais serviços públicos estaduais.

“Era uma luta muito grande por parte da comunidade surda e o resultado nos deixa muito contentes: um sistema que vai atender o estado todo, em diversos órgãos públicos, onde vamos conseguir nos comunicar em qualquer ambiente do Governo do Estado”, comemorou o presidente da Associação das Pessoas Surdas de São Vicente (ASSV), Igor Roberto Pina.

Já Paulo Vieira, representante da Confederação Brasileira de Desportos de Surdos, destaca que o fato de relatar uma ocorrência em uma delegacia com a ajuda de um intérprete de Libras vai gerar mais segurança às pessoas surdas.

“Os surdos têm muita dificuldade de leitura do português, por exemplo, porque são línguas diferentes. A comunidade surda usa a Libras como primeira língua. Muitos não conseguem ler um boletim de ocorrência, não compreendem o vocabulário”, relata.

“Com a ajuda do intérprete, a gente pode entender, concordar e assinar. Muitas pessoas surdas sofrem golpes, por exemplo, e precisam ir a uma delegacia. Agora, elas vão ter independência por conta dessa comunicação”, completa Vieira.

Como vai funcionar

A Central de Interpretação de Libras será implementada em parceria com a organização da sociedade civil AME-SP (Home – AME). Trata-se de um serviço de tradução simultânea que, com o auxílio de um intérprete de Libras por meio de videochamada, permite a comunicação inclusiva entre pessoas surdas e servidores de órgãos estaduais que fazem atendimento direto ao público, como hospitais e delegacias.

Na prática, o atendimento nos serviços estaduais poderá acessar a plataforma online a qualquer momento e solicitar a assistência por vídeo de um intérprete de Libras. O intérprete fará a comunicação com as pessoas surdas em tempo real e informará ao atendente o que está sendo conversado.

Todos os servidores estaduais serão treinados pela AME-SP para acessar o sistema e solicitar a tradução de um intérprete. A central vai funcionar em tempo integral com uma equipe de aproximadamente cem intérpretes de Libras habilitados e com experiência na interpretação simultânea da Libras para o português, e vice-versa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *