Projeto João PessoaS investe na promoção da cidadania e no combate à violência de gênero

Aprender brincando. Essa é a ideia da dinâmica levada à sala de aula da Escola Municipal Leonel Brizola pelo João PessoaS, uma das ações do Programa João Pessoa Sustentável. O projeto passou por várias fases de capacitação de servidores municipais e chegou aos alunos da rede municipal de ensino com a proposta de conscientização e combate às violências de gênero com auxílio dos estudantes.  

O João Pessoas é fruto de uma Cooperação Técnica entre a Prefeitura e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A iniciativa envolve as Secretarias Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPPM) e de Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), além da Unidade Executora do Programa (UEP). As atividades foram iniciadas com os alunos da Escola Municipal Leonel Brizola, no bairro de Tambauzinho.  

Jéssica Almeida, psicóloga e assessora técnica da Diretoria de Enfrentamento à Violência da Prefeitura, explica por que o projeto começou nesta unidade escolar. “Iniciamos essas atividades pela Escola Leonel Brizola, que é uma das escolas que integram a poligonal do Complexo Beira Rio, como forma de dar sustentação à inclusão de gênero dentro do Programa João Pessoa Sustentável. Todas as turmas da escola passaram por capacitação e sensibilização nessas temáticas. Conseguimos envolver uma média de 210 alunos”, relata.  

A última dinâmica da primeira turma foi concluída no final do mês de novembro. Outros pontos debatidos em sala com os alunos foram: masculinidades, igualdade racial e demais grupos vulneráveis.   Arielle Santos, diretora de Educação e Cultura da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para Mulheres (SEPPM), ressalta o potencial das dinâmicas que colocam o respeito como ponto principal foco e promovam cidadania por meio da inclusão e da participação. “É sempre desafiador lidar com os adolescentes nas escolas, mas é um trabalho bem gratificante, porque a gente consegue perceber que quando eles são estimulados respondem bem. E o desafio está exatamente em conseguir prender a atenção deles, porque é uma temática que está muito presente no dia-a-dia, independente da classe social, sejam as questões de gênero, das pessoas com deficiência e questões raciais”, lembra.  

Marielle Claro, aluna do 8º ano, viu no projeto do teatro de bonecos, desenvolvido pela Guarda Civil Metropolitana, uma oportunidade de saber mais sobre os assuntos debatidos. “É divertido você começar a atuar, porque além de ser uma coisa beneficente que a gente vai apresentar para os alunos aqui da escola, é bem legal estar ali com os seus colegas atuando com os bonecos na mão. Os temas são bem interessantes, porque abordam a violência contra a mulher. Agora somos todos jovens, mas quando crescermos já estaremos conscientes”, conta a aluna de 13 anos.  

A professora Luciana Matos, responsável pelo acompanhamento do projeto na escola, conta que elaborou a dinâmica do teatro de bonecos junto com os alunos e comenta a importância de abordar conteúdos para a formação cidadã de cada um deles. “Foi uma proposta bem interessante, que chegou até nós através do Centro de Referência e as crianças gostaram bastante da ideia. Os alunos estudaram sobre a questão da violência contra a mulher, até para poderem formular o roteiro. Estudaram também um pouco sobre a questão do Centro de Referência, como funciona, quais tipos de serviços são oferecidos, e foi importante também para a questão da cidadania deles, porque no dia-a-dia, no cotidiano deles, alguns vivenciam determinadas situações. Eu acredito que agora eles vão estar mais preparados para poder até identificar e, assim, ajudar de alguma forma”, explica.  

Cidade inclusiva e diversaO propósito do projeto João Pessoas é fornecer treinamento para os funcionários públicos visando à prevenção e combate à violência, discriminação e fobias enfrentadas por grupos mais vulneráveis, tais como mulheres, comunidade LGBTQIAP+, afrodescendentes, populações tradicionais, pessoas com deficiência, migrantes e refugiados, entre outros.  

“O papel da Secretaria de Políticas Públicas para as mulheres é também o de capacitar e multiplicar, ter multiplicadores para dar continuidade a esse trabalho. Acredito que quando alguém quer aprender alguma coisa e repassa esse conhecimento, se torna uma rede de aprendizado. E é isso que a gente tem feito com o Projeto. Então, fechamos o ano de uma forma especial. Aproveito aqui para parabenizar toda a equipe envolvida e dizer que esse projeto e esse programa são muito especiais, desde o começo”, celebra a secretária de Política Públicas para as Mulheres, Nena Martins.  

Na primeira etapa do projeto foi feita uma sensibilização com mais de 300 servidores, entre guardas-civis metropolitanos, servidores das secretarias municipais, Controladoria Geral do Município, Procuradoria, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-JP). Todos esses órgãos compõem o Comitê Gestor do Programa João Pessoa Sustentável.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *