Ação no Arpoador vai alertar a população sobre impactos ambientais dos filtros de cigarro – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio, por meio da Subprefeitura da Zona Sul, da Comlurb e das secretarias municipais de Saúde e Meio Ambiente e Clima, realiza neste sábado (16/12), a partir das 7h, o último mutirão de limpeza do ano, no Arpoador. A ação terá parceria do coletivo Bota pra Girar, adotante da Pedra do Arpoador, e da ACT Promoção da Saúde.

A primeira parte da ação contará com uma travessia no mar, do Posto 5 ao Arpoador, envolvendo 100 nadadores de águas abertas. Eles sairão às 7h da tenda da Equipe 15, que fica na Avenida Atlântica, altura do Posto 5, em frente ao Hotel Emiliano. A partir das 8h, enquanto esperam a chegada dos nadadores, acontecerá a segunda parte, no Largo Millôr Fernandes, no Arpoador. Lá, a ACT Promoção da Saúde irá promover uma sessão de meditação e alongamento para a população e, em seguida, às 8h30, o movimento Bota Pra Girar e o Pedra do Arpoador Conservação irão reunir voluntários para limpeza simbólica da Pedra do Arpoador, recolhendo bitucas de cigarros e outros tipos de lixo descartado de forma incorreta.

Dois grupos vão se unir à ação: o Rap da Saúde, formado por jovens capacitados pela Prefeitura para promover causas ligadas à área da saúde e à participação social, e o Chegando de Surpresa, da Comlurb, sob a liderança do Gari Renato Sorriso. Eles vão chamar a atenção, com alegria, para o problema do descarte incorreto do lixo.

Entre os principais objetivos desta ação está a conscientização sobre os problemas causados com o descarte irregular de filtros de cigarros, um dos grandes problemas enfrentados nas cidades. Chamados de bitucas ou guimbas, os filtros são feitos de uma pequena porção do cigarro que não foi queimada e um plástico não-biodegradável, com milhares de substâncias potencialmente tóxicas, como metais, hidrocarbonetos, compostos nitrogenados, aminas aromáticas, entre outros. Eles se tornaram o principal tipo de lixo gerado pelos seres humanos, estimando-se que, dentre os 5,5 trilhões de cigarros produzidos anualmente em todo o mundo, 4,5 trilhões de bitucas são descartadas de forma inadequada.

Uma única bituca tem uma mistura com mais de 7 mil compostos e capacidade para contaminar cerca de mil litros de água. Os dados estão em estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com o apoio do Instituto para o Controle Global do Tabaco (IGTC) da Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health, Instituto Nacional do Câncer e da ACT Promoção da Saúde.

Para o subprefeito da Zona Sul, Flávio Valle, as ações de conscientização sobre a necessidade de descarte adequado do lixo são fundamentais para que a população faça a sua parte, colaborando com a limpeza das nossas praias.

– Realizamos com frequência ações de limpeza na Pedra do Arpoador e nas praias, mas sempre nos surpreendemos com o volume de lixo coletado. Passou da hora de mudar essa realidade. Para isto, convidamos os cidadãos para participarem da iniciativa e atuarem como verdadeiros “fiscais na natureza”. Somente com o esforço coletivo será possível reverter esse quadro – afirma o subprefeito.

Além das atividades citadas, a Comlurb também vai mobilizar a equipe operacional com o trator de limpeza de praia com implemento traseiro que revolve e peneira a areia para separar as guimbas de cigarro durante dois dias. No sábado, as guimbas serão removidas pela Companhia junto com os resíduos coletados pelos voluntários.

O estudo pode ser acessado aqui: https://bit.ly/bituca-plastico-RL

Categoria:

  • 15 de dezembro de 2023
  • Marcações: Arpoador Comlurb meio ambiente Prefeitura do Rio prefeitura do Rio de janeiro saúde

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *