Hospital Geral de Nova Iguaçu promove evento sobre o enfrentamento à violência contra a mulher

Pelo menos duas mulheres vítimas de violência foram atendidas por dia na emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) nos dois primeiros meses deste ano. O número alarmante coloca em evidência a necessidade de discutir e enfrentar esse grave problema. Nesta quinta-feira (7), véspera do Dia Internacional da Mulher, foi realizado mais um evento para debater os desafios enfrentados por essas vítimas. A iniciativa reuniu autoridades da saúde, assistência social e segurança pública.

O bate-papo foi conduzido pela médica ginecologista Elaine Araújo, coordenadora do Centro de Atenção Multiprofissional à Violência Sexual (CAMVIS), que funciona há 22 anos dentro da unidade de saúde. Elaine destacou a importância do acolhimento qualificado e da rede de apoio oferecida pelo município de Nova Iguaçu às mulheres. Representantes do Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIAM-Baixada), ligado à Secretaria de Estado da Mulher, e da Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, também participaram, compartilhando informações para ajudar as vítimas.

“É fundamental que todos os profissionais da saúde compreendam a gravidade e as diversas formas da violência contra a mulher, desde a vulnerabilidade social até a dependência econômica ou psicológica. O atendimento multidisciplinar é essencial para interromper o ciclo de violência enfrentado por essas mulheres”, explicou a médica.

Quando uma vítima de violência chega à emergência, ela recebe os cuidados médicos necessários. Casos de violência sexual são encaminhados para o CAMVIS, onde as pacientes recebem acompanhamento por meio de consultas e apoio de equipes de serviço social e psicologia. Em 2023, o HGNI registrou 1.079 atendimentos a mulheres agredidas e 151 notificações de violência sexual. Todos os casos são registrados no Sistema de Agravo de Notificação (SINAN), plataforma estatística de informações do Ministério da Saúde.

“Além de acolher e atender as pacientes, nosso papel é informar aos órgãos competentes para que possam desenvolver políticas que protejam essas mulheres da violência”, ressaltou o diretor-geral do HGNI, Ulisses Melo.

Em Nova Iguaçu, as mulheres que sofrem violência podem buscar apoio na Casa da Mulher, no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM), no CIAM-Baixada, nas Delegacias de Atendimento à Mulher (DEAM), nas Salas Lilás do IML, além das Delegacias de Polícia (DP). Existem também aplicativos e serviços digitais que podem ser fonte de denúncia ou pedidos de ajuda através de códigos. Em casos de emergência, elas podem entrar em contato pelo telefone 190, da polícia.

Ação de saúde pelo Dia Internacional da Mulher

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS) de Nova Iguaçu oferecerá serviços voltados aos cuidados com a saúde feminina e autoestima. A ação acontecerá nesta sexta-feira (8), na Praça Rui Barbosa, no Centro, das 9h às 15h.

Entre os serviços oferecidos estão: atendimento à saúde da mulher, agendamento de exames laboratoriais, mamografia e ultrassonografia mamária, planejamento familiar, testes rápidos para HIV, Sífilis, Hepatites B e C, aferição de pressão arterial e glicemia capilar, vacinação, atendimento odontológico, consultoria de beleza, maquiagem, manicure e corte de cabelo, atividades físicas, avaliação do Índice de Massa Corporal (IMC) e auriculoterapia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *