Caminhada Ecológica neste sábado (9) recolhe lixo e resíduos deixados às margens do Rio Sorocaba – Noticias

Por: Eduardo Santinon

Em celebração ao Dia do Rio Sorocaba e Dia Mundial da Água (22 de março), a Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Proteção e Bem-Estar Animal (Sema), e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) realizaram, neste sábado (9), a tradicional Caminhada Ecológica, entre a Praça da Biodiversidade e o Parque das Águas, no Jardim Maria do Carmo. A ação de Educação Ambiental contou, inclusive, com a participação de representantes da empresa Solenis LLC, e reuniu um público aproximado de 35 pessoas, entre servidores da Sema e do Saae/Sorocaba, bem como jovens voluntários, crianças, pais e responsáveis.

A Caminhada Ecológica é um evento tradicional para sensibilizar a todos, desde as crianças até os adultos, em não descartar o lixo nas ruas, como forma de contribuir para a conservação do meio ambiente, além do respeito com a natureza e o Rio Sorocaba. Junto com a caminhada, as equipes fazem a limpeza ao longo do trajeto, em uma extensão de cerca de 1.200 metros.

Os resíduos começaram a ser recolhidos na Praça da Biodiversidade. Depois, o grupo dividiu-se em duas equipes, uma percorrendo a margem do rio, pela avenida XV de Agosto, e a outra, pela margem na Avenida Dom Aguirre, até a ponte Luiz Francisco Damian, nas proximidades do Parque das Águas. Durante os trabalhos, o educador ambiental e chefe do departamento comercial e atendimento ao consumidor do Saae/Sorocaba, Vinícius Poppst, bem como o chefe de divisão de Educação Ambiental da Sema, Mateus Ronzani, em um bate-papo, explicaram sobre a importância de conscientizar as pessoas a não descartar o lixo em locais inadequados, além de mostrar, na prática, o desrespeito que alguns ainda têm com a natureza e com o Rio Sorocaba.

Dentre os materiais recolhidos, estavam garrafas pet, copos plásticos, papelão, garrafas de vidro (long neck), embalagens de isopor (marmitex), sacolas plásticas, roupas, sapatos e até celular e impressora.

O lixo que ainda é jogado de forma irresponsável nas ruas e parques da cidade, além de sujar esses espaços, impacta seriamente a fauna e a flora local e “volta” de forma negativa para a população, ao danificar o aspecto visual da cidade, exalar mau cheiro, atrair animais peçonhentos, entupir bueiros e propiciar alagamentos. Ao chegar ao rio, os detritos flutuantes ainda causam grande prejuízo à biodiversidade local, prejudicando a fauna aquática.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *